Triunfo

A Erva-Mate

Nome popular: Erva-Mate
Nome científico: Ilex paraguariensis St.Hill
Família: Aquifoliaceae
Origem: Espécie nativa da América do Sul
Sinonímia popular: Mate, erva-do-paraguai
Parte usada: Folhas
Princípio ativo: alcalóides como a cafeína, teofilina e teobromina, taninos e ácido clorogênico Propriedades e indicações terapêuticas: Estimulante, diurético, digestivo, excitante, laxante, sudorífero e tonificante. Ajuda no combate ao câncer de cólon, diabetes, fraqueza, depressão nervosa, úlcera, pâncreas, doenças cardíacas, entre outras.
Outros usos: Corante.

A trajetória do mate

A erva-mate pertence à família das aqüifoliáceas e é originária da região subtropical da América do Sul, estando presente também no sul do Brasil, norte da Argentina e Paraguai. Na antiguidade, ela era consumida pelos indígenas das nações Guarani e Quíchua que tinham o hábito de beber infusões com suas folhas.

As árvores de erva-mate podem atingir 12 metros de altura, possuem caule cinza e folhas verdes  que são utilizadas para diversos fins. A palavra mate deriva do quíchua mati que designa a Cuia –  recipiente onde o chá era bebido ou sorvido por um canudo (bomba). O hábito ainda hoje é muito popular em todo o sul da América do Sul, e no Brasil a bebida é chamada de Chimarrão.

Atualmente a erva-mate é exportada para diversos países do mundo sendo comumente consumida na forma de blends – combinada com outras ervas e aromatizantes – e envazados em sachês de chás.

O mate possui um gosto particular e inúmeras propriedades benéficas à saúde. Através da  sua folha  também podem ser elaborados extratos líquidos e secos (SpryDrier),  utilizados para diversos fins que vão desde a elaboração de bebidas líquidas e  alimentos, até na indústria farmacêutica.